O CNAB tem a honra de prestar uma homenagem especial a uma das figuras mais proeminentes da história da arte brasileira, Anita Malfatti (1889-1964). Nascida como Anita Catarina Malfatti em 2 de dezembro de 1889, essa talentosa artista plástica paulista deixou uma marca indelével no cenário artístico nacional e internacional.

Anita Malfatti era uma brasileira com origens europeias, resultado da união entre seu pai, Samuel Malfatti, um engenheiro italiano, e sua mãe, Betty Krug, uma norte-americana com ascendência alemã. Desde cedo, Anita demonstrou um interesse apaixonado pelas artes, possivelmente influenciada pela mãe, que lecionava pintura e línguas.

Apesar dos desafios pessoais, incluindo episódios de depressão que marcaram sua juventude, Anita persistiu em sua jornada artística. Aos dezenove anos, ela tornou-se professora e posteriormente buscou aprimorar sua formação na Alemanha e em Nova Iorque, enriquecendo sua perspectiva e técnica.

De volta ao Brasil, Anita continuou a explorar sua expressão artística, e sua participação na Semana de Arte Moderna de 1922 marcou um ponto de virada em sua carreira. A partir desse momento, sua arte ganhou reconhecimento nacional e internacional, com exposições em Berlim, Nova Iorque e Paris.

Entre as obras mais celebradas de Anita Malfatti estão "A Boba" (1916), "O Homem Amarelo" (1916) e "Mário de Andrade I" (1922), que destacam sua habilidade única em capturar a essência humana e transmitir emoções através da pintura.

Neste momento de homenagem, o CNAB reconhece e celebra o legado duradouro de Anita Malfatti, uma verdadeira pioneira que desbravou novos caminhos na arte brasileira e inspirou gerações posteriores de artistas. Que seu trabalho continue a ser uma fonte de inspiração e admiração para todos nós, mantendo viva sua contribuição para o rico panorama cultural do Brasil.